Bicicletas Blitz & Renata Diehl

renata-diehl-bicicletas-blitz
Foto: Doug Clayton

Renata Diehl é a primeira embaixadora Blitz de 2017, escolhida por seu estilo praiano, esportivo, saudável, descontraído e cheio de lazer de qualidade na vida. Apaixonada por movimento e natureza, essa designer de estampas nascida em Porto Alegre encontrou no Rio o melhor cenário para a sua maneira de viver. Sorte nossa!

– Viver no Rio é pisar na areia, molhar os pés, poder surfar ou simplesmente dar um mergulho, ver o sol nascer na praia, sentir o vento no rosto ao pedalar pela orla e ver o sol se por atrás dos dois irmãos… amo muito, define Renata que é biker, surfista e yogini nas horas vagas.

renata-bicicletas-blitz-praianas
Rio, praia, yoga, bike Blitz, movimento e estampas que representam uma maneira positiva de ver a vida.

Aos 14 anos, Renata achava incrível assistir os surfistas deslizando nas ondas e, ainda adolescente, decidiu aprender pra valer. Aos 18 anos, o surf já fazia parte de todos os seus fins de semana e, como extensão da vida mais natural que encontrou nesse esporte, virou uma biker praiana e conheceu o yoga, filosofia e ciência de vida que a acompanha há quase 12 anos.

Aos 19,  foi morar na Austrália, onde dividiu seus  dias entre um curso de inglês e surf. Na volta ao Brasil, ficou mais difícil se contentar em surfar apenas nos fins de semana e só depois de encarar uma estrada para o litoral do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Mas o novo foco da faculdade de design gráfico ­ –  e a paixão descoberta em criar estampas  – a ajudou a segurar (literalmente) a onda.

renata-diehl-bike-blitz-beach-mistral
As incríveis estampas de Renata Diehl são o retrato do seu lifestyle leve, cheio de harmonia e natureza.

Depois de formada, Renata Diehl considerou as oportunidades no mercado de estamparia do Rio de Janeiro e uma antiga atração pelo lifestyle carioca ajudaram a firmar sua decisão de se mudar para a cidade.

Renata cariocou! Hoje sua rotina começa bem cedo com surf. Nos dias sem onda, ela curte pegar a sua bike Blitz Beach Cruiser Mistral e ir pedalando pela orla olhando o mar até a escola de yoga onde se dedica a aprender profissionalmente a pratica. Na volta pra casa, onde trabalha via home office, às vezes acontece um mergulho. Aí ela está pronta para criar.

DCIM100GOPROG0091274.JPG
Renata Diehl bikeando de Blitz Mistral pela orla carioca, um dos seus programas preferidos na cidade.

Foto: Doug Clayton

 

 

Blitz & Art in Surf

art in surfPraticar esportes, optar por uma vida esportiva, tem a ver com um estilo de vida que inclui amor pela natureza, gosto pela amplidão de estar ao ar livre, necessidade de estar em movimento, de ir muito além das limitações do dia a dia. O surf e o ciclismo compartilham essa conexão e não à toa a nossa bike Beach Cruiser Mistral é super curtida por surfistas.

logo-275x114

A sinergia entre essas práticas esportivas inspirou uma parceria das boas entre a Blitz e a Art in Surf, essa marca irada que virou um movimento dedicado a enriquecer a identidade do surf! A bicicleta Blitz Beach Cruise Mistral agora faz parte do cenário da loja Art in Surf Búzios e pode ser adquirida por lá também!

IMG-20170130-WA0009

Art in Surf Búzios – Av. José Bento Ribeiro, 2900 – lojabuzios@artinsurf.com.br – (22) 2623-4574

Como proteger sua bike contra roubo

201220150617075713segurança

Nunca se falou tanto em bicicletas no mundo todo. Basta ligar a televisão, folhear revistas, jornais ou dar uma volta pela cidade e você vai perceber, as bicicletas estão por toda parte! O que há tempos era considerado apenas um “brinquedo”, hoje se tornou umas das mais cobiçadas maneiras de se deslocar pela cidade, lazer ou para a prática esportiva. São tantos os benefícios que é praticamente impossível não querer pedalar. Quem já experimentou sabe, isso vicia! Isso é ótimo, quanto mais gente pedalando, melhor. Mas é aí que mora o perigo. Com o tempo, as bicicletas foram evoluindo e se transformaram não somente em máquinas super eficientes, mas em verdadeiros objetos de desejo.

Desejo não só seu, que pretende investir num bom equipamento, mas também dos criminosos que todos os dias se aproveitam da falta de segurança nas ruas, nas trilhas e estradas.

Hoje, é possível encontrar bicicletas de várias marcas e modelos mais simples com preços que variam entre R$ 350 até as que possuem tecnologia tão avançada quanto a de um carro de Fórmula 1, podendo chegar a R$ 35 mil. Independente do valor de mercado da sua bicicleta, se você a usa, ficar sem ela certamente irá lhe fazer falta.

A Secretaria Nacional de Segurança Pública não tem estatísticas atualizadas sobre furtos ou roubos de bicicletas, mas quem acompanha as notícias nos jornais, revistas e internet, sabe que o número de roubos e furtos aumentou muito nos últimos tempos. Só na Cidade Universitária de São Paulo-USP, um dos únicos lugares adequados para a prática esportiva, houveram quase 20 casos de roubos de bicicleta à mão armada só no mês de janeiro.

Não se trata de um fato isolado. Estamos passando por um surto de roubos de bicicletas em todas as cidades brasileiras, com maior incidência em São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Ribeirão Preto e Recife. As tentativas de assalto têm acontecido dentro da cidade, nas estradas e inclusive nas trilhas. Justamente por isso, reunimos algumas dicas que podem ajudá-lo a preservar o seu querido patrimônio.

Por que fazer seguro da sua bicicleta?

A Estar Seguro, que administra hoje mais de cinco mil apólices, foi pioneira, há nove anos, no seguro para bicicletas no Brasil. Para Luiz Fernando Giovannini, idealizador do produto, o seguro traz para o ciclista uma tranquilidade extra.

“Quem teve a sua bike roubada provavelmente não compraria outra no mesmo valor que tinha antes, ou pode até abandonar o esporte. O papel do seguro neste momento é fundamental. Quando o cliente vai a uma loja comprar uma bike, e vê a possibilidade de colocá-la no seguro, ele automaticamente pensa na probabilidade de comprar um equipamento melhor, porque sabe que vai ter a garantia do seguro”.

Fazer o seguro é fácil. O cliente deve apresentar uma nota fiscal comprovando valor igual ou maior que R$ 1,5 mil, preencher um rápido cadastro, efetuar o pagamento no valor proporcional a 5% do valor da bicicleta por ano e pronto.

Em caso de sinistro, você deve fazer um boletim de ocorrência e após acionar o seguro recebe em poucos dias o valor da sua apólice descontados os R$ 400 referentes à franquia.

O número de apólices cadastradas para esse tipo de seguro cresceu 100% entre 2011 e 2012, e de 2012 para 2013 o número de clientes assegurados chegou a 300%.

Importante dizer que: nenhum seguro cobre bikes desprotegidas, ou seja, sem a presença do seu proprietário. Se você deixar a sua bike presa no poste ou esqueceu no parque e a levaram, infelizmente, você dançou, tome cuidado.

Na cidade

Pedalar na cidade requer uma série de cuidados. O ciclista geralmente presta atenção no deslocamento e costuma não perceber que está sendo avaliado por olhos atentos, ou seja, tem que ficar esperto sempre. Um vacilo e diga adeus a sua magrela. Claro que não vamos generalizar, ainda existem lugares seguros para pedalar, mas tomar um pouco mais de cuidado não faz mal a ninguém. Por exemplo:

– Antes de sair de casa procure estudar o local de destino, planeje o percurso e o que precisa levar para não ficar na mão.

– Durante o pedal, procure não se distrair. Falar ao celular e pedalar ao mesmo tempo o torna uma vítima fácil.

– Quando não estiver em movimento, procure observar o que acontece ao seu redor, evite o fator surpresa.

– Procure um lugar seguro para prender sua bike, de preferência um local visível que possa usar uma boa trava, cadeado ou corrente.

– Não se esqueça de retirar os acessórios, eles são os itens preferidos dos oportunistas. Por exemplo: ciclocomputador, selim com blocagem, GPS, luzes, bolsa de selim, caramanhola, alforje etc.

– Nunca abandone a bicicleta sem trava nenhuma. Sua bike pode ser facilmente furtada enquanto você vai só até ali e já volta. Mesmo que seja algo rápido, leve sempre sua trava e use-a.

– Evite chamar a atenção se você tem uma bicicleta bacana. Procure disfarçá-la cobrindo a marca e detalhes chamativos com adesivos ou com câmaras de ar.

– Pedalar sozinho também é bom, mas, quanto mais gente estiver com você, mais seguro será o pedal.

– Ao estacionar, tenha o costume de deixar a bicicleta na marcha mais pesada. Em caso de furto, o meliante vai ter dificuldades na fuga.

– Preste atenção no que ela ficará presa e como irá prendê-la durante sua ausência.

Veja na ilustração abaixo como fixar corretamente a sua magrela.

segurança-5