Bicicletas Blitz & Renata Diehl

renata-diehl-bicicletas-blitz
Foto: Doug Clayton

Renata Diehl é a primeira embaixadora Blitz de 2017, escolhida por seu estilo praiano, esportivo, saudável, descontraído e cheio de lazer de qualidade na vida. Apaixonada por movimento e natureza, essa designer de estampas nascida em Porto Alegre encontrou no Rio o melhor cenário para a sua maneira de viver. Sorte nossa!

– Viver no Rio é pisar na areia, molhar os pés, poder surfar ou simplesmente dar um mergulho, ver o sol nascer na praia, sentir o vento no rosto ao pedalar pela orla e ver o sol se por atrás dos dois irmãos… amo muito, define Renata que é biker, surfista e yogini nas horas vagas.

renata-bicicletas-blitz-praianas
Rio, praia, yoga, bike Blitz, movimento e estampas que representam uma maneira positiva de ver a vida.

Aos 14 anos, Renata achava incrível assistir os surfistas deslizando nas ondas e, ainda adolescente, decidiu aprender pra valer. Aos 18 anos, o surf já fazia parte de todos os seus fins de semana e, como extensão da vida mais natural que encontrou nesse esporte, virou uma biker praiana e conheceu o yoga, filosofia e ciência de vida que a acompanha há quase 12 anos.

Aos 19,  foi morar na Austrália, onde dividiu seus  dias entre um curso de inglês e surf. Na volta ao Brasil, ficou mais difícil se contentar em surfar apenas nos fins de semana e só depois de encarar uma estrada para o litoral do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Mas o novo foco da faculdade de design gráfico ­ –  e a paixão descoberta em criar estampas  – a ajudou a segurar (literalmente) a onda.

renata-diehl-bike-blitz-beach-mistral
As incríveis estampas de Renata Diehl são o retrato do seu lifestyle leve, cheio de harmonia e natureza.

Depois de formada, Renata Diehl considerou as oportunidades no mercado de estamparia do Rio de Janeiro e uma antiga atração pelo lifestyle carioca ajudaram a firmar sua decisão de se mudar para a cidade.

Renata cariocou! Hoje sua rotina começa bem cedo com surf. Nos dias sem onda, ela curte pegar a sua bike Blitz Beach Cruiser Mistral e ir pedalando pela orla olhando o mar até a escola de yoga onde se dedica a aprender profissionalmente a pratica. Na volta pra casa, onde trabalha via home office, às vezes acontece um mergulho. Aí ela está pronta para criar.

DCIM100GOPROG0091274.JPG
Renata Diehl bikeando de Blitz Mistral pela orla carioca, um dos seus programas preferidos na cidade.

Foto: Doug Clayton

 

 

Documentário Bikes vs Carros será lançado no Brasil dia 13 de junho, em São Paulo

São Paulo será a primeira cidade no Brasil a receber o documentário Bikes vs Carros. O lançamento será 13 de junho no Parque do Ibirapuera, com exibição gratuita em espaço aberto próximo ao Auditório, e terá a presença do diretor sueco Fredrik Gertten. No dia haverá uma programação cultural ligada à bicicleta, que será divulgada em breve.

Em 18 de junho a produção desembarca no Rio de Janeiro e em todas as salas do Espaço Itaú de Cinema no País – Brasília (DF), Curitiba (PR), Porto Alegre (RS), Florianópolis (SC), Belo Horizonte (MG), João Pessoa (PA), Santos (SP) e Salvador (BA).

Outra novidade é a possibilidade que qualquer cidade tem de receber e exibir o filme. Basta se inscrever na plataforma VideoCamp, descrever suas propostas para a ação e aguardar o retorno com o filme. A criação é da Maria Farinha Filmes para promover o cinema como ferramenta de transformação social.

O filme
Apesar da dicotomia “bicicletas versus carros”, a produção não explora a guerra por espaço, mas como a indústria automobilística influencia nas políticas públicas das cidades e como a bicicleta começa a mudar uma parte desse jogo.

São Paulo tem um papel importante no documentário. Gravado entre 2012 e 2014 na cidade, Gertten registrou a eleição do prefeito Fernando Haddad (PT) e o início das transformações pelas quais a capital paulista passou. Também compõem o documentário as cidades de Los Angeles (EUA), com sua luta por mais espaços para bicicleta; Toronto (Canadá) e o seu prefeito que está tirando algumas das ciclovias; e Copenhague (Dinamarca), referência internacional em mobilidade por bicicleta.

Entre os depoimentos estão os da arquiteta e urbanista brasileira Raquel Rolnik e o da jornalista e repórter do Vá de Bike Aline Cavalcante. “Ele ficou entre a rotina de São Paulo e a minha. Me acompanhou em umas audiências públicas na Câmara Municipal, registrando os debates sobre bicicleta”, explica a jornalista.

Aline conta que fez uma reconstituição não factual sobre os acontecimentos com a Julie Dias e a Márcia Prado e usou a história de Julie como uma cronologia de outros eventos semelhantes em Bogotá (Colômbia) e Los Angeles (EUA). “O que está acontecendo em São Paulo já aconteceu em várias partes do mundo. A Europa é o que é por causa da incidência de ativistas. Eu vivo essa história todos os dias para todo lugar que eu vou. Nunca imaginei que a bicicleta fosse me proporcionar essas experiências.”

O filme teve sua première internacional em Malmö, na Suécia, em março, mas já rodou o mundo, passando por Espanha, Reino Unido, Colômbia, Austrália e Estados Unidos, entre outros. De acordo com a programação internacional, o filme ainda vai à Coreia do Sul, Polônia e muitas cidades dos Estados Unidos.

Veja abaixo dois trailers do documentário, legendados em português. No segundo, com conteúdo diferente, há vários depoimentos de Aline Cavalcante.